img_1095_3O envelhecimento das pessoas vivendo com HIV/aids foi um dos temas discutidos durante esta semana em Genebra, na Suíça, por ocasião da 39ª reunião da Junta de Coordenação do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids) – Programme Coordinating Board, em inglês –, mais conhecido pela sigla PCB.

Participaram da reunião representantes de 22 governos de todas as regiões geográficas, das agências cofinanciadoras e de cinco organizações não governamentais, incluindo associações de pessoas vivendo com HIV. O PCB atua sobre as questões programáticas relativas à política, estratégia, finanças, acompanhamento e avaliação do Unaids. O 39º PCB começou na terça-feira, 6, e encerra-se nesta quinta-feira, 8.

O Brasil apresentou sua experiência na política de prevenção ao HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis (IST) entre pessoas com mais de 50 anos de idade. A diretora do Departamento das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV), Adele Benzaken, representou o país, participando do segmento temático que discutiu “HIV e envelhecimento”.

A pedido do Unaids, foi exibida a campanha publicitária Clube dos ENTA, realizada pelo Ministério da Saúde em 2008. A campanha é considerada um caso de sucesso – por sua abordagem criativa de prevenção ao HIV, reconhecendo a vivência da sexualidade entre os idosos. O Brasil é um dos poucos países a terem realizado ações de comunicação com ênfase nesse público.
Adele Benzaken ressaltou as barreiras culturais que os serviços de saúde enfrentam, em sua rotina, para discutir sexualidade e prevenção do HIV e outras IST entre os mais velhos. A diretora também destacou os avanços e desafios da resposta brasileira ao HIV/aids, apresentando dados de pesquisas e dos sistemas nacionais de informação.

Veja aqui a campanha CLUBE DOS ENTA

A programação do PCB abordou temas extremamente relevantes para a resposta global ao HIV. Para a embaixadora Regina Dunlop, delegada permanente do Brasil junto às Nações Unidas e outras organizações internacionais em Genebra, o encontro foi uma grande oportunidade de debate entre os países sobre temas essenciais para acelerar a resposta global ao HIV, como a eliminação da transmissão vertical. Em seu discurso na abertura do PCB, a embaixadora mencionou a iniciativa brasileira de certificar os municípios que eliminarem a transmissão vertical. “Essa é uma prioridade para o Brasil, e uma ação ousada como essa pode estimular os municípios a adaptarem, aprimorarem e ampliarem suas próprias respostas à epidemia rumo à certificação nacional”, disse.

Outro tema importante apresentado pela delegação brasileira no 39º PCB foi o papel das comunidades na eliminação dos níveis epidêmicos de aids até 2030. “Desde o início da epidemia, o Brasil construiu sua resposta nacional com a participação direta da sociedade civil, e esses esforços foram fundamentais para aprimorar as políticas públicas e alcançar os grupos mais afetados pelo HIV”, disse Dunlop, garantindo: “continuaremos apoiando as organizações da sociedade civil”. Em sua fala, a embaixadora destacou a preocupação de países de baixa e média renda quanto ao acesso a medicamentos e o papel relevante exercido pelo Unaids no debate internacional sobre propriedade intelectual.

Também esteve presente no 39º PCB o embaixador Guilherme Patriota, delegado permanente alterno do Brasil junto às Nações Unidas e outras organizações internacionais em Genebra. Em um de seus discursos, Patriota reiterou o papel essencial da sociedade civil como “grande pilar transformador de políticas de saúde voltadas para o HIV no Brasil”. Como exemplos inspiradores, citou as estratégias brasileiras “Viva Melhor Sabendo”, “Fique Sabendo Jovem” e “A Hora é Agora”. Para Patriota, “o ativismo de populações-chave é a base para alcançarmos as mudanças almejadas no curto e médio prazo”.

PCB – As funções do PCB incluem estabelecer políticas e prioridades gerais para o Unaids; avaliar e decidir sobre o planejamento e a execução da estratégia do Unaids, considerando todos os aspectos do desenvolvimento do programa e examinando os relatórios e recomendações apresentados pelo comitê de organizações cofinanciadoras e pelo diretor-executivo; e analisar as propostas do diretor-executivo e aprovar as disposições para o financiamento do Unaids, entre outros.

Assessoria de Comunicação
Departamento das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais
Conheça também a página do DIAHV no Facebook:
https://www.facebook.com/ISTAidsHV

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.