Acesso rápido >> Sala de Web Palestra | Teleconsultoria HealthNet | Teleconsultoria Ao Vivo | Cursos | Solicitar Certificado | Fale Conosco
NUTES promoveu debate sobre acesso e inovação em tecnologias estratégicas para o SUS durante a HOSPITALMED 2014

NUTES promoveu debate sobre acesso e inovação em tecnologias estratégicas para o SUS durante a HOSPITALMED 2014

O Núcleo de Telessaúde (NUTES) da UFPE esteve presente na HospitalMed 2014, maior feira de produtos e serviços do setor de saúde do Norte-Nordeste, que aconteceu de 25 a 28 e agosto no Centro de Convenções de Pernambuco. Além dos stands com demonstrações e divulgação de projetos e serviços, o Núcleo promoveu dois eventos durante a feira.

Encontro RedeNUTES
O Encontro da Rede de Núcleos de Telessaúde de Pernambuco – RedeNUTES, realizado no dia 26,  proporcionou o debate entre gestores e profissionais da saúde sobre o desenvolvimento da telessaúde em Pernambuco e seus desafios e perspectivas no Brasil. “Iniciativas como essa são muito importantes para tornar a telessaúde universal. É um espaço de sensibilização”, afirmou Thaís Matos, da Coordenação Nacional do Programa Telessaúde Brasil Redes – MS.

Estiveram em pauta assuntos como a estruturação de estratégias e objetivos a serem alcançados, levando-se em conta os inúmeros benefícios proporcionados pela utilização da telessaúde, tanto para profissionais quanto para pacientes, e para a própria gestão do sistema de saúde, além da necessidade de integração com as unidades de ensino. “A telessaúde permite que os profissionais dos municípios mais afastados não fiquem isolados, estando permanentemente conectados com especialistas e com os centros mais avançados, que dispõem de uma infraestrutura que eles não têm”, disse o Profº Frederico Nunes, que na ocasião esteve representando o reitor da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, Profº Anísio Brasileiro.

Foram destacadas também novas perspectivas que vêm surgindo em meio às  dificuldades enfrentadas. “Apesar dos desafios que são comuns aos municípios e estados brasileiros, estão surgindo estratégias que vão proporcionar maior potencialização e melhor uso da telessaúde em nosso país. Entre elas, a interoperabilidade entre sistemas, que vai garantir a integração do e-SUS com os sistemas de regulação assistencial, como o SISREG e a própria plataforma de teleconsultoria. Além disso, a integração da telessaúde com a regulação assistencial, que vai garantir maior qualificação e ampliação do acesso dos usuários às redes de saúde”, explicou Drª Isabel Brandão, da Coordenação do Telessaúde Brasil Redes da Secretaria de Saúde do Recife.

Fórum de Saúde Digital
Durante o I Fórum Norte-Nordeste de Saúde Digital, também realizado no dia 26, foram apresentados e discutidos diversos casos de sucesso na área de e-saúde, aproximando gestores, profissionais, universidades e empresas com foco na inovação tecnológica tanto no setor público quanto no setor privado da saúde. O evento abriu espaço para o debate acerca das dificuldades e desafios das tecnologias da informação na saúde no âmbito governamental, a importância da inovação para otimizar os processos de atendimento e gestão, promover a troca de informações e fortalecer a regionalização.

De acordo com André Almeida, CIO da Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo, a questão regional é fundamental para o desenvolvimento. “Não se deve centralizar apenas nos pólos sul e sudeste. Acho que, pra ampliar e funcionar, tem que acontecer no Brasil inteiro. A discussão já é o primeiro passo pra gente entender onde estão as oportunidades de melhoria, e trabalhar em cima da melhoria”, afirmou. Na opinião de Marcel Caraciolo, Diretor de Tecnologia e Bioinformática da Genomika Diagnósticos, eventos como o Fórum de Saúde Digital são indispensáveis nesse ponto. “Esse evento ajuda tanto a parte da comunidade científica quanto a iniciativa privada e pública a poderem compreender um pouco do que está acontecendo do ponto de vista da tecnologia e suas aplicações na saúde. E como podemos aplicar a tecnologia, principalmente no nordeste, que carece desse tipo de discussão. É uma questão de compreender de que forma podemos alinhar os incentivos fiscais, públicos e de iniciativa privada”, completa.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: