Saúde investe R$ 249 mil para qualificar atendimentos no Acre

saudeacIncentivo para melhoria dos serviços é repassado a aproximadamente 4.900 municípios de todos os estados brasileiros. Montante beneficia mais de 45 mil equipes de saúde.

Municípios do Acre contam com mais R$ 249 mil para a qualificação dos seus serviços e de equipes de saúde na Atenção Básica. O Ministério da Saúde liberou esse montante a 20 cidades credenciadas ao Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB). Em todo o Brasil, o repasse foi de R$ 133 milhões a 4.881 municípios. As transferências foram feitas na quarta-feira, 27 de julho.

O Ministério da Saúde define o incentivo aos municípios com base em avaliações próprias e de usuários sobre os serviços oferecidos pelas equipes e unidades de saúde. Além disso, a projeção considera os perfis sociais, econômicos e culturais de cada localidade, acrescidos ainda pelos recursos das equipes de Saúde Bucal e Agentes Comunitários de Saúde.

A Atenção Básica é considerada a porta de entrada dos serviços de saúde, sendo capaz de resolver cerca de 80% dos problemas da população, reduzindo a necessidade de procedimentos mais complexos e da hospitalização. A qualificação dos profissionais de saúde é uma ferramenta estratégica para fortalecer esses princípios da Atenção Básica e aperfeiçoar os atendimentos.

O PMAQ-AB é um incentivo aos gestores e equipes de atendimento para melhorar a qualidade dos serviços oferecidos à população na Atenção Básica. Os municípios credenciados devem promover um conjunto de estratégias de qualificação, acompanhamento e avaliação do trabalho das equipes de saúde. O programa eleva o repasse de recursos do incentivo federal para os municípios participantes que atingirem melhora no padrão de qualidade do atendimento.

O repasse de R$ 133 milhões alcança 45.880 equipes de saúde, sendo 28.177 de Saúde da Família (ESF), 16.067 de Saúde Bucal (SB) e 1.636 de Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF). Ao todo, há atualmente 71.568 equipes em 5.489 municípios brasileiros.

MUNICÍPIOS VALOR EM REAIS
Acrelândia 13.500,00
Assis Brasil 784,23
Brasiléia 14.400,00
Bujari 5.000,00
Capixaba 784,23
Cruzeiro do Sul 46.600,00
Epitaciolândia 3.900,00
Feijó 2.200,00
Jordão 3.900,00
Mâncio Lima 6.800,00
Marechal Thaumaturgo 5.600,00
Plácido de Castro 47.000,00
Porto Walter 1.700,00
Rio Branco 39.400,00
Rodrigues Alves 2.800,00
Senador Guiomard 2.200,00
Sena Madureira 19.600,00
Tarauacá 17.600,00
Xapuri 3.900,00
Porto Acre 11.500,00
TOTAL 249.168,47

Fonte: Por Diogo Caixote, da Agência Saúde

Ministério da Saúde lança manual para agentes comunitários

guiaacsO Guia tem objetivo de instrumentalizar as equipes de saúde em relação à saúde masculina e busca subsidiar o trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS). Baixe aqui: http://bit.ly/2aEIyzq

Fonte: Ministério da Saúde

Equipe do Telessaúde/AC participa da IV Mostra da Semsa

A equipe do Telessaúde – Acre participou na última quarta-feira (10) da “IV Mostra de Experiências Exitosas da Secretaria Municipal de Saúde”, o evento objetiva premiar os projetos dos profissionais da saúde de Rio Branco que abordam temas relevantes a atenção primária.

Na oportunidade, a Coordenadora de Campo Caroline Oliveira, expôs aos profissionais da atenção básica do SUS o trabalho realizado pelo programa no Estado, entre eles o desenvolvimento da Tele-educação que conta com um projeto de título “Telessaúde na escola”, e visa estabelecer educação em saúde no ambiente escolar.

Em seguida, a coordenadora apresentou o site do programa aos presentes e salientou a importância do cadastramento de todos os profissionais de saúde na plataforma nacional. O cadastro será realizado pela equipe de campo nas unidades de saúde e o acesso a plataforma pode ser feito através de um link anexado no nosso site, o que possibilita a utilização dos recursos oferecidos pelo Telessaúde.

Telessaúde ultrapassa a marca de 1000 SOF publicadas

A coleção de Segunda Opinião Formativa (SOF) é resultado da colaboração dos Núcleos de Telessaúde a partir de teleconsultorias atendidas no âmbito do Programa Telessaúde Brasil Redes. A coleção de mais de 1000 SOF está disponível para acesso na BVS de Atenção Primária à Saúde (BVS APS), representando perguntas de 14 categorias de profissionais da saúde está classificada por áreas temáticas e foi produzida por 9 Núcleos de Telessaúde.

foto2

Além dessa boa notícia, queremos divulgar os números da enquete respondida pelos usuários sobre a utilidade das SOF, após 1 ano de implementada. No período de agosto de 2015 a julho de 2016, foram registrados 661 votos para 271 SOF, dos quais 81% foram votos de “muito útil” para 235 SOF! Parabéns e muito obrigada aos teleconsultores dos 9 Núcleos de Telessaúde que colaboram para a atualização desta importante e diferenciada fonte de informação da APS.

foto 1

Lista das Top 10 SOF:

  1. O que significa citólise no resultado do exame de Papanicolau (CP de colo do útero)?
  2. O que significa metaplasia escamosa imatura no resultado do Papanicolau (CP do colo de útero)?
  3. O que são Nódulos de Schmorl e qual sua importância clínica?
  4. Em qual tipo de feridas/úlceras está indicado o uso de papaína a 10%? Pode-se utilizá-la em úlcera isquêmica focal?
  5. O que fazer com TSH baixo e T4 livre normal?
  6. Quais são os direitos e deveres dos Agentes Comunitários de Saúde?
  7. Qual a orientação para a aplicação da mistura de insulina NPH com insulina regular?
  8. Como proceder frente a um laudo de exame citopatológico de colo de útero com metaplasia?
  9. Como é feito o tratamento de feridas com alginato de cálcio?
  10. O que é pseudo-hipertensão e como devemos realizar a manobra de Osler?

Veja também a lista completa das SOF (em pdf) que receberam votos.

Fonte: Informe preparado por Verônica Abdala, BIREME/OPAS/OMS, em 2 de agosto de 2016.

Tese ressalta a importância do Telessaúde como provedor de qualificação no atendimento

O Telessaúde é um programa nacional que presta auxílio aos profissionais da rede de Atenção Primária à Saúde para qualificar o atendimento ao usuário do SUS. Recentemente foi publicada uma tese da autora Neyla Arroyo Lara Mourão, com o título “Telessaúde à luz da bioética: subsídios para a universalidade de acesso à saúde”, no site Repositório Institucional da Universidade de Brasília.

O objetivo do estudo foi analisar as práticas desenvolvidas em telessaúde, à luz da Declaração Universal sobre Bioética e Direitos Humanos (DUBDH), segundo a percepção de profissionais vinculados ao Núcleo de Telessaúde da Universidade de Pernambuco, que faz parte do Programa Telessaúde Brasil Redes do Ministério da Saúde.

A autora também relata a necessidade da realização de novas pesquisas sobre o Telessaúde que forneçam contribuições para o desenvolvimento do programa. Abaixo segue o link da publicação:

http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/20920/1/2016_NeylaArroyoLaraMour%C3%A3o.pdf

Fonte: Assessoria de Comunicação do Telessaúde/Ac com informações do site Repositório Institucional da UnB

Telessaúde Brasil Redes: Comitês Gestores Estaduais terão acesso a palestras do 6º Congresso Brasileiro de Telemedicina e Telessaúde

O Núcleo São Paulo do Programa Telessaúde Brasil Redes está disponibilizando, aos integrantes dos Comitês Gestores Estaduais, o conteúdo das palestras magnas, fóruns, painéis e oficinas do 6º Congresso Brasileiro de Telemedicina e Telessaúde, que aconteceu em São Paulo, em novembro de 2013. Os vídeos trazem a experiência de conceituados professores universitários, gestores e demais especialistas em Telemedicina, Telessaúde e Educação Interativa.

Dentre os temas abordados, estão a Educação 3.0 – Acesso Aberto a Recursos Educacionais, Cursos Online na Saúde, MOOC (Massive Online Open Courses) e Saúde Móvel (mLearning e mCare) – e as Políticas Nacionais de Saúde envolvendo o uso de Telemedicina e Telessaúde.

As atividades programáticas do 6º Congresso podem ser acessadas pelo link http://saudedofuturo.org.br/aia/. Basta fazer o cadastro solicitado e clicar em Aprimoramento em Telessaúde e Educação Interativa.

RedeNUTES realiza ação da 3ª Campanha Nacional do Dia do Idoso promovida pelo Conselho Regional de Fonoaudiologia

Os participantes do Curso de Formação de Cuidador de Idosos – que vem sendo realizado pela RedeNUTES em parceria com a Fraternidade Peixotinho e a Interne Soluções em Saúde desde o mês de agosto – participaram de uma ação especial nesta quinta-feira (02).

A fonoaudióloga Tatiana Santana, teleconsultora e assistente de telessaúde da RedeNUTES, distribuiu material  informativo da 3ª Campanha Nacional do Dia do Idoso, promovida pelo Conselho Regional de Fonoaudiologia – CREFONO. Além disso, os participantes receberam orientações e dicas importantes sobre os cuidados com problemas relacionados à voz do idoso. Tatiana também aproveitou a ocasião para passar orientações sobre a ocorrência de disfagia na terceira idade, destacando a importância da alimentação de forma segura e o que fazer ao se identificar sintomas de disfagia no idoso.

A Campanha Nacional do Dia do Idoso tem como principal objetivo abordar os benefícios do envelhecimento ativo e a importância do fonoaudiólogo para a comunicação humana, inclusive na terceira idade. O Dia do Idoso é comemorado em 1º de outubro.

NUTES promoveu debate sobre acesso e inovação em tecnologias estratégicas para o SUS durante a HOSPITALMED 2014

O Núcleo de Telessaúde (NUTES) da UFPE esteve presente na HospitalMed 2014, maior feira de produtos e serviços do setor de saúde do Norte-Nordeste, que aconteceu de 25 a 28 e agosto no Centro de Convenções de Pernambuco. Além dos stands com demonstrações e divulgação de projetos e serviços, o Núcleo promoveu dois eventos durante a feira.

Encontro RedeNUTES
O Encontro da Rede de Núcleos de Telessaúde de Pernambuco – RedeNUTES, realizado no dia 26,  proporcionou o debate entre gestores e profissionais da saúde sobre o desenvolvimento da telessaúde em Pernambuco e seus desafios e perspectivas no Brasil. “Iniciativas como essa são muito importantes para tornar a telessaúde universal. É um espaço de sensibilização”, afirmou Thaís Matos, da Coordenação Nacional do Programa Telessaúde Brasil Redes – MS.

Estiveram em pauta assuntos como a estruturação de estratégias e objetivos a serem alcançados, levando-se em conta os inúmeros benefícios proporcionados pela utilização da telessaúde, tanto para profissionais quanto para pacientes, e para a própria gestão do sistema de saúde, além da necessidade de integração com as unidades de ensino. “A telessaúde permite que os profissionais dos municípios mais afastados não fiquem isolados, estando permanentemente conectados com especialistas e com os centros mais avançados, que dispõem de uma infraestrutura que eles não têm”, disse o Profº Frederico Nunes, que na ocasião esteve representando o reitor da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, Profº Anísio Brasileiro.

Foram destacadas também novas perspectivas que vêm surgindo em meio às  dificuldades enfrentadas. “Apesar dos desafios que são comuns aos municípios e estados brasileiros, estão surgindo estratégias que vão proporcionar maior potencialização e melhor uso da telessaúde em nosso país. Entre elas, a interoperabilidade entre sistemas, que vai garantir a integração do e-SUS com os sistemas de regulação assistencial, como o SISREG e a própria plataforma de teleconsultoria. Além disso, a integração da telessaúde com a regulação assistencial, que vai garantir maior qualificação e ampliação do acesso dos usuários às redes de saúde”, explicou Drª Isabel Brandão, da Coordenação do Telessaúde Brasil Redes da Secretaria de Saúde do Recife.

Fórum de Saúde Digital
Durante o I Fórum Norte-Nordeste de Saúde Digital, também realizado no dia 26, foram apresentados e discutidos diversos casos de sucesso na área de e-saúde, aproximando gestores, profissionais, universidades e empresas com foco na inovação tecnológica tanto no setor público quanto no setor privado da saúde. O evento abriu espaço para o debate acerca das dificuldades e desafios das tecnologias da informação na saúde no âmbito governamental, a importância da inovação para otimizar os processos de atendimento e gestão, promover a troca de informações e fortalecer a regionalização.

De acordo com André Almeida, CIO da Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo, a questão regional é fundamental para o desenvolvimento. “Não se deve centralizar apenas nos pólos sul e sudeste. Acho que, pra ampliar e funcionar, tem que acontecer no Brasil inteiro. A discussão já é o primeiro passo pra gente entender onde estão as oportunidades de melhoria, e trabalhar em cima da melhoria”, afirmou. Na opinião de Marcel Caraciolo, Diretor de Tecnologia e Bioinformática da Genomika Diagnósticos, eventos como o Fórum de Saúde Digital são indispensáveis nesse ponto. “Esse evento ajuda tanto a parte da comunidade científica quanto a iniciativa privada e pública a poderem compreender um pouco do que está acontecendo do ponto de vista da tecnologia e suas aplicações na saúde. E como podemos aplicar a tecnologia, principalmente no nordeste, que carece desse tipo de discussão. É uma questão de compreender de que forma podemos alinhar os incentivos fiscais, públicos e de iniciativa privada”, completa.